Feluma Ventures

Tecnologia e saúde: onde estão as principais dores?

O empreendedorismo na medicina ainda é baixo, mas vemos uma tendência crescente de médicos que estão buscando esse caminho. E se você é um desses profissionais, este post é para você. E a tecnologia é sua aliada se você está querendo seguir essa trajetória.

Tecnologia!?

Muitas vezes essa palavra assusta, por isso, antes de começar o conteúdo central do texto, vamos entender a definição da palavra, para que possamos compreender o termo de forma simples: 

“A tecnologia pode ser compreendida como um conjunto de conhecimentos (teóricos e práticos) que são utilizados com a finalidade de propor soluções e resolver problemas.”

Ou seja, tecnologia não é nada mais do que criar/adaptar soluções para problemas. Vamos usar um exemplo simples: a Uber. O unicórnio nasceu com o propósito de conectar pessoas que precisavam de um trabalho ou que queriam economizar com seus carros a pessoas que precisavam se locomover. A partir daí, os criadores da ideia adaptaram a tecnologia capaz de viabilizar essa conexão — no caso deles, um aplicativo.

Então, aqui vai uma dica para quem está começando a empreender: você não precisa inventar a nova roda.

Agora vamos à parte mais valiosa deste texto.

Onde estão as principais oportunidades na área médica? 

Onde tem um problema a ser resolvido há uma oportunidade de negócio. Então, o primeiro passo é encontrar os maiores problemas, mas tenha calma, porque você não vai precisar fazer isso sozinho. Listamos abaixo os pontos que consideramos serem os maiores problemas na área da saúde. Confira!

1. Transcrição de consultas

Os médicos gastam muito tempo nas consultas apenas preenchendo papéis e, às vezes, não conseguem dedicar atenção total aos pacientes, por isso aqui é necessário uma solução que facilite essa dinâmica. A transcrição de consultas é uma ferramenta que transforma a conversa das consultas médicas em prontuário, de forma que o médico possa manter seu foco no paciente.

2. Prontuário médico global

Mudar de médico é sempre um desafio para o paciente, principalmente em casos de doenças crônicas, como o diabetes, em que o paciente precisa de uma equipe multidisciplinar (endocrinologista, nutricionista, psicólogo etc.). Além disso, na maioria das vezes, esses médicos não conversam entre si, impossibilitando a integração do tratamento.

Nesse caso, uma das soluções que pode viabilizar esse acompanhamento é o prontuário médico global, um documento único do paciente que pode ser acessado por todos os locais de prestação de serviços em saúde. Seu objetivo é integrar todos os cuidados e garantir maior precisão nos diagnósticos e tratamentos. 

Essa tecnologia só é possibilitada graças à invenção do PeP, o Prontuário Eletrônico do Paciente, já utilizado na grande maioria dos hospitais no Brasil.

3. Software de atualização de diretrizes

A todo momento estudos científicos são publicados e o tratamento de muitas condições muda em pouco tempo, o que gera um desafio para os médicos, que precisam estar sempre atualizados sobre as novidades. Portanto, uma ferramenta que faça a leitura desses estudos científicos e a atualização dos guidelines seria uma ótima solução para esse problema.

4. Ferramenta de checagem de prevenção primária

Muitas doenças estão ligadas à genética, a comportamentos e a fatores ambientais, mas como o médico pode saber disso se nem o paciente sabe quais informações são relevantes para o seu diagnóstico e tratamento corretos? Sendo assim, uma ferramenta que analise a saúde do paciente de forma completa ou que faça a checagem de toda a prevenção primária do paciente (vacinas, atividade física, alimentação, saúde mental etc.) pode melhorar muito a vida de pacientes e médicos.

5. Machine learning

Pesquisas levam tempo para serem realizadas e, na maioria das vezes, demandam altos recursos financeiros e muito capital humano. Um grande aliado nessa questão é o machine learning, uma área da inteligência artificial que, a partir da leitura de prontuários médicos, pode realizar estudos científicos observacionais com base nas informações registradas pelos profissionais humanos.

6. Programas que selecionam os profissionais corretos

Como encontrar o profissional certo para o momento de cada paciente? A tecnologia também é uma grande aliada na procura precisa de profissionais. Programas que possibilitem ao paciente encontrar o melhor médico para ele de acordo com sua situação atual são cada vez mais requisitados.

7. Programas que otimizam a rotina médica

Outro ponto que ainda precisa de soluções efetivas, com custo mais baixos, e que tem um mercado potencial são os programas que facilitem a rotina dos médicos e que possam ser mais precisos que um humano. Esses programas podem atuar:

  • Na identificação de veias/artérias e estruturas por câmeras de vídeo robóticas, guiando o cirurgião durante procedimentos delicados;
  • No monitoramento remoto de sinais vitais (oxigenação no sangue, frequência cardíaca, pressão arterial etc.);
  • No monitoramento de humor através de estudo de interação digital do paciente (mudanças em seu padrão de sites visitados e aplicativos utilizados podem ser sinal de alterações de humor, o que pode ajudar a detectar doenças mentais de forma precoce). Essas tecnologias estão aproximando cada vez mais os médicos da tão respeitada Behavior Science, área na qual temos como grande exemplo o médico brasileiro Dr. Roger Daglius Dias, professor da Harvard Medical School e uma das maiores referências em estudo comportamental do mundo.

Além dos pontos citados acima, estudos de efetividade de opções terapêuticas farmacológicas baseadas em variações genéticas do paciente e na sua interação com uma droga específica estão sendo desenvolvidos pelas startups da nossa parceira Molkom Biotech Pharma Ventures, assim como estudos sobre os avanços da genética de forma geral (prever aparecimento de doenças, estudar melhor tratamento e prevenção).

Agora que já mostramos onde estão os maiores problemas/oportunidades, você precisa pensar em COMO resolvê-los…

Não faltam caminhos para seguir quando o assunto é inovar na saúde, afinal de contas o mercado de healthtechs cresce todos os dias, assim como os investimentos. E se você sempre quis empreender nessa área, aqui vai a última dica: procure um problema real a ser resolvido, pesquise muito, entenda o mercado e tenha uma equipe multidisciplinar dedicada a ajudá-lo a construir a melhor solução. E o mais importante: não se apegue à solução, mas sim ao problema a ser resolvido. 

Continue acompanhando nosso blog para conferir mais conteúdos sobre empreendedorismo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *